Países do Segundo Mundo: O que são?

O “segundo mundo” inclui países que já foram controlados pela antiga União Soviética. Os países do segundo mundo eram economias planejadas centralmente e estados de partido único. Notavelmente, o uso do termo “segundo mundo” para se referir aos países soviéticos caiu amplamente em desuso no início dos anos 90, logo após o fim da Guerra Fria.

Mas o termo segundo mundo também abrange países mais estáveis ​​e mais desenvolvidos que os países do terceiro mundo, mas menos estáveis ​​e menos desenvolvidos do que os países do primeiro mundo. Exemplos de países do segundo mundo por essa definição incluem quase toda a América Latina, Turquia, Tailândia, África do Sul e muitos outros. Os investidores às vezes se referem a países do segundo mundo que parecem estar caminhando para o status de primeiro mundo como “mercados emergentes”.

Entendendo o Segundo Mundo

Pela primeira definição, alguns exemplos de países do segundo mundo incluem: Argentina, Brasil, China, México, Polônia, República Tcheca e Rússia entre outros.

Países do Segundo Mundo

No que diz respeito à segunda definição, de acordo com o geo-estrategista e o doutorado da London School of Economics Parag Khanna, existem aproximadamente 100 países que não são países do primeiro mundo nem do terceiro mundo. Khanna enfatiza que dentro do mesmo país pode haver uma coexistência de primeiro e segundo mundos ou características do primeiro e terceiro mundo. As principais áreas metropolitanas de um país podem exibir características do primeiro mundo, por exemplo, enquanto suas áreas rurais apresentam características do terceiro mundo. A China exibe uma riqueza extraordinária em Pequim e Xangai, mas muitas de suas regiões não urbanas ainda são consideradas em desenvolvimento.

Critérios na definição de comunidades do primeiro, segundo e terceiro mundo

Critérios como taxas de desemprego, taxas de mortalidade infantil, expectativa de vida, padrões de vida e distribuição de renda podem ser usados ​​para determinar o status de primeiro, segundo ou terceiro mundo.

Mesmo dentro dos Estados Unidos, alguns argumentam que, embora a maioria da nação esteja totalmente desenvolvida, certos lugares estão estagnados em seu crescimento – até mesmo voltando a um status mais próximo de uma definição de segundo ou terceiro mundo.

Historicamente, a menor renda familiar média nos EUA tem sido em Kiryas Joel, Nova York, e nas reservas de Dakota do Sul em Lakota Sioux, Pine Ridge e Rosebud. Temin, porém, acredita que quase 80% de toda a população americana faz parte de um setor de baixos salários, cheio de dívidas e com menos possibilidades de crescimento. No Brasil, que é considerado um país de segundo mundo, as maiores rendas familiares estão em Brasília, São Paulo e Rio Grande do Sul, já as menores estão no Amazonas, Alagoas e Maranhão. Se fossemos considerar a renda destes 3 últimos estados, o Brasil provavelmente estaria classificado como país de terceiro mundo.

Deixe um comentário