O que é um Oligopólio?

O oligopólio é uma estrutura de mercado com um pequeno número de empresas, onde nenhuma delas pode impedir que as outras tenham influência significativa. O índice de concentração mede a participação de mercado das maiores empresas. Um monopólio é uma empresa, o duopólio são duas empresas e o oligopólio são duas ou mais empresas. Não existe um limite superior preciso para o número de empresas em um oligopólio, mas o número deve ser baixo o suficiente para que as ações de uma empresa influenciem significativamente as outras.

Oligopólio compreensivo

Os oligopólios na história incluem fabricantes de aço, companhias de petróleo, estradas de ferro, fabricação de pneus, cadeias de supermercados e operadoras de celular. A preocupação econômica é que um oligopólio possa bloquear novos participantes, retardar a inovação e aumentar os preços, o que prejudica os consumidores. As empresas em um oligopólio estabelecem preços coletivamente ou sob a liderança de uma empresa, em vez de obter preços do mercado. As margens de lucro são, portanto, mais altas do que seriam em um mercado mais competitivo.

Condições que permitem oligopólios

As condições que permitem a existência de oligopólios incluem altos custos de entrada em dispêndios de capital, privilégios legais e uma plataforma que agrega valor a mais clientes. A transformação global da tecnologia e do comércio mudou algumas dessas condições: a produção offshore e o aumento de “mini-mills” afetaram a indústria do aço, por exemplo. No espaço de aplicativos de software para escritório, a Microsoft foi alvo do Google Docs, que o Google financiou usando dinheiro de seus negócios de pesquisa na web.

Por que os oligopólios são estáveis?

Uma pergunta interessante é: por que esse grupo é estável? As empresas precisam ver os benefícios da colaboração sobre os custos da competição econômica, depois concordam em não competir e, em vez disso, concordam com os benefícios da cooperação. Às vezes, as empresas encontram maneiras criativas de evitar a aparência de fixação de preços. Outra abordagem é para as empresas seguirem um líder de preço reconhecido, quando o líder aumenta os preços, os outros o seguem.

O principal problema que essas empresas enfrentam é que cada uma tem um incentivo para trapacear. Se todas as empresas no oligopólio concordam em restringir a oferta em conjunto e manter os preços altos, então cada uma pode capturar negócios substanciais das outras, quebrando o acordo e boicotando as demais. Essa concorrência pode ser travada por meio de preços ou simplesmente pela expansão de sua própria produção trazida ao mercado.

Pessoas reunidas em uma mesa redonda representando o Oligopólio

Quando os custos e os benefícios são equilibrados para que nenhuma empresa queira se afastar do grupo, é considerado o estado de equilíbrio de Nash para os oligopólios. Isso pode ser alcançado por condições contratuais ou de mercado, restrições legais ou relacionamentos estratégicos entre membros do oligopólio que permitem a punição de trapaceiros.

É interessante notar que tanto o problema de manter um oligopólio quanto o problema de coordenar a ação entre compradores e vendedores em geral no mercado envolvem moldar as recompensas para vários dilemas que se repetem ao longo do tempo. Como resultado, muitos dos mesmos fatores institucionais que facilitam o desenvolvimento das economias de mercado como a execução segura de contratos, condições culturais de alta confiança e reciprocidade e política econômica do laissez-faire, também podem potencialmente ajudar a incentivar e sustentar oligopólios.

Os governos às vezes respondem a oligopólios com leis contra fixação de preços e conluio. A OPEP é um exemplo, uma vez que é um cartel de estados produtores de petróleo sem autoridade abrangente. Alternativamente, em economias mistas, os oligopólios frequentemente buscam e pressionam por políticas governamentais favoráveis ​​para operar sob o regulamento ou mesmo supervisão direta de agências governamentais.

Deixe um comentário