ADM Fácil

Logística e seu papel na Administração

Para acompanhar as transformações no cenário mundial, as empresas precisam realizar monitoramentos constantes do que vem acontecendo no mundo quanto às atividades logísticas. Vivemos um período de constantes mudanças onde se busca cada vez mais por eficiência e eficácia na realização dos trabalhos, e isso inclui as atividades logísticas.


A logística vem acompanhando a evolução da administração e hoje tem o objetivo de suprir a necessidade do consumidor fazendo com que os produtos cheguem ao destino final com o menor custo possível. Com isso, a logística precisa eliminar do processo tudo que torne o produto mais oneroso e menos interessante ao consumidor.

Logística é a área da administração responsável pelo transporte e armazenamento de produtos que serão comercializados, responsável pelo planejamento, controle de fluxo, armazenagem de matéria-prima, estoque, produção e distribuição.

Para atender às necessidades de forma eficaz é preciso planejar, implementar, armazenar corretamente e controlar os fluxos em todas as etapas realizadas.

As principais atividades da logística são: armazenagem, recebimento e transporte. A logística é responsável pelo gerenciamento da cadeia de abastecimento, desde a armazenagem de material até a entrega do produto ao cliente.

O profissional da área de logística trabalha em centros de distribuição, portos, aeroportos, transportadoras e em terminais de cargas. Este profissional avalia e implementa sistemas de transporte, armazenamento, compra de suprimentos, distribuição e entrega de produtos, buscando economia, rapidez e segurança dos produtos a serem entregues.

Principais atividades da logística

O principal objetivo da logística é a otimização de fluxos de informação e materiais desde a origem até a entrega ao destinatário final visando o menor custo possível. Para que este objetivo seja alcançado é imprescindível a realização de um conjunto de atividades como a manutenção do estoque, o processamento de pedidos e o transporte de produtos.

O que significa cada uma destas atividades:

  • Manutenção de estoque – O grande desafio desta atividade é manter o menor estoque possível, sem prejudicar o consumidor. A quantidade de estoque de cada empresa depende do setor em que está inserida e da sazonalidade de cada produto. O profissional precisa identificar a quantidade de estoque ideal para a empresa, pois não pode haver excesso de produtos e nem a falta deles. O estoque deve ser suficiente para suprir a oferta e a procura, sem alterar os preços.
  • Processamento de pedidos – Compreende o tempo entre o pedido do cliente e a entrega do produto. Este tempo deve ser o menor possível, pois ele é um dos responsáveis pelo grau de satisfação do cliente. Sendo assim é um diferencial competitivo, pois os clientes não gostam de esperar muito pela entrega do produto adquirido.
  • Transporte de produtos – O transporte é uma das atividades desenvolvidas pela logística. Refere-se a forma como as empresas realizam a movimentação física dos produtos até a entrega dos mesmos aos clientes. Este transporte pode ser rodoviário, ferroviário, aéreo ou marítimo. Comumente as empresas utilizam mais de um meio de transporte com o objetivo de entregar o produto ao destinatário o mais rápido possível e com o menor custo.
Transporte rodoviário
No Brasil há um predomínio do transporte rodoviário devido seu custo ser mais baixo em relação aos demais meios de transporte.

Atividades de apoio

As atividades de apoio servem de suporte para que haja um bom desempenho das atividades principais, estas atividades são:

  • Armazenagem – Está relacionada ao espaço físico destinado à estocagem dos produtos, há uma preocupação com a forma adequada de movimentar os produtos.
  • Embalagem – Muito importante, pois durante o transporte ela protege a carga evitando que seja danificada. Não deve ter um valor muito alto para não onerar o produto, mas deve possuir qualidade suficiente para evitar que o produto armazenado seja danificado.
  • Suprimento – Refere-se à aquisição de matéria-prima para a produção dos produtos. Esta atividade avalia onde e que quantidade comprar. Precisa ser planejada e controlada para que o resultado final agregue valor ao consumidor.
  • Sistema de informação – Um bom sistema de informação é responsável por parte do sucesso das ações logísticas da empresa, é ele quem fornece informações sobre custos e procedimentos necessários. Através destes dados, pode ser realizado um bom planejamento e um bom controle.
  • Planejamento – Inclui várias atividades como compra, transporte, entrega, distribuição de produtos e a quantidade a ser produzida.

O principal sistema utilizado em logística é o código de barras que é capaz de controlar a entrada e a saída de dados, a quantidade de material adquirido, a quantidade de material gasto e o tempo gasto na produção dos produtos.

Relação entre setores

As atividades logísticas estão presentes em quase todos os setores empresariais, abaixo estão relacionadas algumas dessas relações:

  • Logística e Setor de Compras – A logística oferece meios para que o setor de compras realize melhores negociações e escolha os melhores fornecedores. Com isso os ganhos da empresa são muito grandes, pois reduz os custos e o tempo de fabricação dos produtos. Os consumidores também ganham recebendo seus produtos mais rapidamente e com menor preço. Utilizando as ferramentas logísticas, o desperdício de matéria-prima é evitado e a empresa consegue trabalhar com o estoque apenas na quantidade necessária para a demanda.
  • Logística e Setor de Armazenamento – A logística pode ajudar o setor de armazenamento no recebimento de produtos, na realização de controle quantitativo e qualitativo dos produtos recebidos. Após o material ser aprovado nessa inspeção, segue para o estoque e o que for reprovado será devolvido ao fornecedor. Esta devolução também faz parte da responsabilidade do setor de armazenamento e da logística.
  • Logística e Setor de Planejamento – A interação entre estes setores pode ajudar a antecipar as necessidades de materiais, isto se dá através de planilhas, como pedidos de fornecimentos, controle de estoque e inventários de almoxarifado. Sendo assim, consegue controlar não apenas a previsão de estoque como também suprir a demanda mesmo em períodos acima ou abaixo da média.
  • Logística e Setor Financeiro – As movimentações financeiras como entrada e saída de valores também podem ser controladas com as ferramentas da logística.

Canais de distribuição

Oferecer um produto de qualidade com preço competitivo não é garantia de sucesso de vendas. É de suma importância possuir um sistema de distribuição que proporcione ao cliente agilidade na entrega, e para isto, é preciso definir quem serão os distribuidores e os locais de venda.

Por exemplo: em uma empresa fabricante de calçados, a nova coleção vem com vários modelos de botas, esta empresa precisa exportar seus calçados para todas as regiões do Brasil e proporcionar comodidade aos consumidores. Para que isto seja feito de forma eficaz é necessário realizar um estudo de quais cidades utilizam mais este tipo de calçado, quais cidades possuem um clima mais frio e além disso é preciso fazer com que este produto chegue ao consumidor final no outono e no inverno, pois de nada adianta levar este tipo de produto para o comércio no verão. Para este tipo de ação podemos afirmar que o fabricante está proporcionando utilidade de tempo e lugar para os clientes.

A distribuição dos produtos certos, na época certa de venda, acessível ao consumidor daquele tipo de mercadoria é determinante no sucesso de vendas. Esta é uma Estratégia Mercadológica aliada à logística que gera resultados positivos.

Para que o produto chegue corretamente ao público alvo, precisamos averiguar as diferentes atividades de distribuição, que são elas:

  • Movimentação física dos produtos – Nada mais é do que a movimentação eficiente dos produtos desde a saída da linha de produção até a entrega aos clientes. Está incluso nesta movimentação, o transporte, o armazenamento e o estoque. Diz respeito a movimentação dos produtos.
  • Canal de distribuição – São as empresas responsáveis pela distribuição dos produtos, desde a fabricação até a aquisição pelos consumidores finais. Incluem os agentes, atacadistas e varejistas.

Um intermediário ajuda a diminuir o esforço do fabricante na distribuição dos produtos, e facilita para que o produto abranja mais consumidores interessados na aquisição deste tipo de mercadoria. Como a responsabilidade de distribuição é dividida com empresas especializadas, possibilita economia de tempo e dinheiro. Além de diminuir a responsabilidade com transporte, armazenamento, vendas e publicidade, podendo assim focar na produção da mercadoria.

A escolha do canal de distribuição fica sob responsabilidade do setor administrativo de cada empresa, que deverá escolher o melhor canal para o tipo de produto comercializado. O setor administrativo deverá escolher de forma que a distribuição seja feita em estabelecimentos apropriados e com preço de acordo com o público alvo. Aqui podemos observar que a logística está diretamente ligada à Estratégia Mercadológica.

Os intermediários nos canais de distribuição são responsáveis por distribuir os produtos, e reduzir os custos para o fabricante. Este processo é chamado de economia de escala, onde quanto mais produtos forem distribuídos, menor será o custo por unidade.

O trabalho dos intermediários precisa ser de qualidade e com custos cada vez mais baixos, para assim suprir a exigência dos consumidores. Veja abaixo algumas funções dos intermediários:

  • Compra – O intermediário compra para revender ao consumidor. Ele precisa obter produtos diversificados para conseguir oferecer para o maior número de clientes possível.
  • Armazenamento – Os produtos precisam ser armazenados de forma correta para não haver perda de material. É necessário também que haja preocupação na quantidade de material estocado, para que não se tenha produto em excesso e nem escassez do mesmo.
  • Distribuição – O intermediário faz a ponte entre os fabricantes e os consumidores.
  • Transporte – É a movimentação dos produtos, para levá-los às lojas ou aos consumidores.

Existem vários tipos de canais de distribuição citaremos aqui os três principais que são:

  • Fabricante/Consumidor – Conhecido como canal de distribuição direta. Neste canal não são utilizados intermediários na distribuição dos produtos. Por um lado, este canal é muito bom pois o fabricante tem controle total da distribuição, porém terá um trabalho muito grande, pois além de fabricar ainda terá que se responsabilizar pela entrega de todos os produtos. Dependendo do porte da empresa, terá dificuldade para atingir uma grande quantidade de consumidores, além de precisar criar um setor dentro da empresa responsável por esta tarefa.
  • Fabricante/Varejista/Consumidor – É muito comum a utilização deste canal, pois o fabricante consegue concentrar suas atividades na fabricação de seus produtos e os intermediários (no caso os varejistas) ficam responsáveis pelo transporte, venda e entrega dos produtos.
  • Fabricante/Atacadista/Varejista/Consumidores – Este canal consegue abranger uma quantidade muito grande de consumidores. O fabricante continua concentrando suas atividades na fabricação, como no canal anterior, porém o atacadista entra com a finalidade de comprar do fabricante e distribuir em menor quantidade aos varejistas e estes serão responsáveis pela venda ao consumidor.

Não podemos esquecer de citar os condomínios logísticos, ao longo dos anos, as empresas perceberam as vantagens em manter suas operações logísticas próximas das suas zonas de distribuição e de consumo e ao mesmo tempo longe dos centros urbanos para evitar grandes congestionamentos e facilidade de acessos às rodovias. Os condomínios logísticos são destinados ao armazenamento e às operações logísticas e encontram-se lotados em condomínios com infraestrutura e despesas comuns rateadas.

Existem alguns tipos distribuição e o produtor deverá escolher o melhor tipo para distribuir seus produtos, são elas:

  • Distribuição Intensiva – O objetivo é distribuir uma maior quantidade de produto para uma maior quantidade de consumidor. A ideia é abranger uma grande parcela do mercado e se tornar conhecido, com isso pode perder um pouco da qualidade do produto. É aberto a qualquer intermediário que tiver interesse na distribuição.
  • Distribuição Seletiva – Baseado em estudos de mercado, o fabricante escolhe quais serão os intermediários. Aqui a preocupação não é conseguir abranger uma grande parcela do mercado e sim fidelizar seus clientes.
  • Distribuição exclusiva – O fabricante escolhe com quais intermediários vai trabalhar com exclusividade na distribuição dos produtos. Geralmente este tipo de distribuição é feito para alcançar um público específico, mais exigente e disposto a pagar mais pelo produto adquirido.

Funções dos intermediários

Vamos começar falando sobre as funções do atacadista. Ele é um dos mais importantes intermediários. É responsável pela compra dos produtos diretamente do produtor para vendê-los a um varejista. Geralmente compra em grande quantidade, com isso, consegue adquirir produtos com preços diferenciados, e distribuir no mercado varejista. Assim, os varejistas são muito beneficiados pois não precisam comprar em grande quantidade e conseguem manter o estoque com quantidade ideal de mercadoria.

As funções dos atacadistas são:

  • Atacadista Geral – trabalha com grande diversidade de produtos;
  • Atacadista de Linha –  trabalha com um determinado ramo mercadológico;
  • Atacadista de Especialidade – realiza a venda de produtos muito específicos;
  • Atacadista Transportador (caminhões) – leva a mercadoria nos caminhões, já realiza a venda, entrega e faturamento no ato da venda. Muito comum na comercialização de biscoitos e bebidas;
  • Atacadista Pague e Leve – o cliente entra no estabelecimento compra a mercadoria e é responsável pelo transporte, tirando a responsabilidade dos atacadistas na entrega dos produtos;
  • Atacadista Direto (agente) – apenas vende o produto, o fabricante é responsável pelo armazenamento e transporte;
  • Atacadista Rack Jobber – responsável por abastecer pontos de vendas, como supermercados e mercearias;
  • Comissário – Presta serviço de forma comissionada, faz a intermediação entre produtor e comprador.

Agora vamos falar um pouco dos varejistas, são intermediários que realizam as vendas dos produtos para o consumidor final. Os produtos podem ser comercializados em lojas físicas, através de catálogos ou pela internet. Os varejistas podem ser:

  • Varejista Independente – é aquele que possui apenas um estabelecimento, mas tem representatividade em relação às vendas no varejo;
  • Varejista em Cadeia – possui mais de um estabelecimento, é responsável por distribuir os produtos a suas filiais;
  • Supermercado – possui grande variedade de mercadorias, não trabalha apenas com uma linha de produtos, mas a maior comercialização é no ramo alimentício;
  • Loja de Departamento – tem grande variedade de produtos, mas não possui um ramo principal, vende desde vestuários até alimentos. Um exemplo de loja de departamento são as Lojas Americanas;
  • Shopping Center – Possui vários estabelecimentos comerciais que são gerenciados por uma administradora, para que os lojistas utilizem o espaço é paga uma taxa denominada de condomínio.
  • Cybermarketing – É a evolução na forma de varejo. Os varejistas vendem seus produtos através de sites, sem que haja necessidade de o consumidor ir até uma loja física.

Através das atividades dos intermediários é que se pode racionalizar operações e reduzir os custos para os fabricantes. Caso não existissem os intermediários os fabricantes teriam que além de produzir também transportar, armazenar, controlar o estoque, escolher os locais de vendas e vender. Fazendo todas estas atividades, várias etapas deixariam de ser realizadas com qualidade devido a diversidade de áreas a serem gerenciadas.

Antes de comprar os produtos que irão ofertar aos clientes, os intermediários fazem um minucioso estudo para selecionar aquilo que os consumidores realmente desejam adquirir.

Uma grande exigência dos consumidores é quanto à variedade de produtos, pois querem ter a possibilidade de fazer comparação entre eles antes de efetuar a compra, pensando nisso, os intermediários procuram negociar com uma grande quantidade de fornecedores para que possam contar com variedade de produtos e assim conseguir fidelizar os clientes.

Uma preocupação dos intermediários é quanto à proteção dos produtos até a entrega ao consumidor final. Pois são eles os responsáveis pelo armazenamento, e com isso, precisam preservar os produtos com suas características originais.

O transporte é responsável pela movimentação das mercadorias desde a fábrica até a entrega aos consumidores. A correta escolha do meio de transporte é fundamental para obter custos mais baixos e entregas mais rápidas.

A distribuição dos produtos deve ocorrer de forma equilibrada para evitar escassez ou o excesso deles. Para isso, o intermediário precisa conhecer o mercado para o qual distribui seus produtos, isso se obtém fazendo uma média de vendas de uma determinada mercadoria em um determinado período.

Este texto tem por objetivo auxiliar profissionais e empresários da área de logística nas atividades executadas diariamente, visando mais eficiência e eficácia para a distribuição de produtos.

Este artigo te ajudou? Esperamos que sim! Compartilhe isso para o mundo: Ficaremos extremamente agradecidos! 👍👍👍

Enviar comentário

Curta nossa página no Facebook