Contabilidade

Como avaliar o Balanço Patrimonial de uma empresa?

Para os investidores em ações, o balanço patrimonial é uma importante demonstração financeira que deve ser interpretada ao considerar um investimento em uma empresa. O balanço patrimonial é um reflexo dos ativos e passivos pertencentes à empresa em um determinado momento. A força do balanço de uma empresa pode ser avaliada por três grandes categorias de medidas de qualidade de investimento: adequação do capital de giro, desempenho de ativos e estrutura de capitalização.

O Ciclo de Conversão de Caixa

O ciclo de conversão de caixa é um indicador chave da adequação da posição de capital de giro da empresa. Além disso, o ciclo de conversão de caixa é um indicador da capacidade de uma empresa de gerenciar com eficiência dois de seus ativos mais importantes – contas a receber e estoque.

Calculado em dias, o ciclo de conversão de caixa reflete o tempo necessário para receber as vendas e o tempo necessário para entregar o estoque. Quanto menor o ciclo, melhor. Os gerentes inteligentes sabem que o capital de giro em alta velocidade é mais lucrativo do que o capital de giro improdutivo, que está preso em ativos.

CCC = Ciclo de Conversão de Caixa

EDP= Estoque de dias pendente

DVP = Dias de vendas pendentes

DPP = Dias a pagar pendentes

CCC = EDP + DVP – DPP

Não existe uma métrica ideal única para o ciclo de conversão de caixa , também conhecido como ciclo operacional da empresa. Como regra, o ciclo de conversão de caixa de uma empresa será fortemente influenciado pelo tipo de produto ou serviço que fornece e pelas características do setor.

Contabilidade

Os investidores que procuram qualidade de investimento nesta área do balanço de uma empresa devem acompanhar o ciclo de conversão de caixa por um longo período de tempo (por exemplo, cinco a 10 anos) e comparar seu desempenho com o dos concorrentes. Consistência e/ou reduções no ciclo operacional são sinais positivos. Por outro lado, tempos de coleta irregulares e/ou um aumento no estoque disponível são geralmente indicadores negativos da qualidade do investimento.

A Taxa de Rotatividade de Ativos Fixos

Ativo imobilizado é outro indicador importante no balanço da empresa. Esse valor geralmente representa o maior componente dos ativos totais de uma empresa. Os leitores devem observar que o termo ativo fixo é a abreviação do profissional financeiro para imobilizado, embora a literatura de investimento às vezes se refira ao total de ativos não circulantes de uma empresa como ativos fixos.

O investimento de uma empresa em ativos fixos depende, em grande parte, de sua linha de negócios. Algumas empresas são mais intensivas em capital do que outras. Grandes produtores de equipamentos de capital, como fabricantes de equipamentos agrícolas, exigem uma grande quantidade de investimento em ativos fixos. As empresas de serviços e os produtores de software de computador precisam de uma quantidade relativamente pequena de ativos fixos. Os principais fabricantes normalmente têm de 30% a 40% de seus ativos em imobilizado. Consequentemente, as taxas de rotatividade de ativos fixos variarão entre diferentes setores.

A taxa de rotatividade de ativos fixos é calculada como:

RAF = Rotatividade de Ativos Fixos

VL = Vendas Líquidas

AFM = Ativo Fixo Médio

RAF = VL / AFM

Esse indicador da taxa de rotatividade de ativos fixos, analisado ao longo do tempo e comparado ao dos concorrentes, dá ao investidor uma ideia de quanto efetivamente a administração de uma empresa está usando esse ativo grande e importante. É uma medida aproximada da produtividade dos ativos fixos de uma empresa em relação à geração de vendas. Quanto maior o número de vezes que o imobilizado é revertido, melhor. Obviamente, os investidores devem procurar consistência ou aumentar as taxas de rotatividade de ativos fixos como qualidades positivas de investimento no balanço.

A Relação Retorno sobre Ativos

O retorno sobre os ativos (ROA) é considerado uma taxa de rentabilidade – mostra quanto uma empresa está ganhando em seus ativos totais. No entanto, vale a pena ver a relação ROA como um indicador do desempenho dos ativos.

A taxa de ROA (porcentagem) é calculada como:

ROA = Lucro Líquido / Ativos Totais

O índice ROA é expresso como um retorno percentual, comparando o lucro líquido, o resultado final da demonstração do resultado, com o total médio dos ativos. Um retorno percentual alto implica ativos bem gerenciados. Aqui, novamente, a relação ROA é melhor empregada como uma análise comparativa do desempenho histórico de uma empresa e com empresas de uma linha de negócios semelhante.

O Impacto dos Ativos Intangíveis

Numerosos ativos não físicos são considerados ativos intangíveis, amplamente classificados em três tipos diferentes: propriedade intelectual (patentes, direitos autorais, marcas comerciais, nomes de marcas, etc.), encargos diferidos (despesas capitalizadas) e ágio adquirido (o custo de um investimento superior ao valor contábil).

Infelizmente, há pouca uniformidade nas apresentações do balanço patrimonial para ativos intangíveis ou na terminologia usada nas legendas da conta. Muitas vezes, os intangíveis são enterrados em outros ativos e apenas divulgados em uma nota financeira.

Os valores envolvidos na propriedade intelectual e nas taxas diferidas geralmente não são materiais e, na maioria dos casos, não justificam muito escrutínio analítico. No entanto, os investidores são incentivados a examinar com cuidado a quantidade de lucro adquirido no balanço de uma empresa – um ativo intangível que surge quando um negócio existente é adquirido. Alguns profissionais de investimento não se sentem à vontade com uma grande quantidade de lucro adquirido. O retorno à empresa adquirente será realizado apenas se, no futuro, for capaz de transformar a aquisição em lucros positivos.

Analistas conservadores deduzirão o valor do lucro adquirido do patrimônio líquido para chegar ao patrimônio líquido tangível de uma empresa. Na ausência de qualquer medida analítica precisa para avaliar o impacto dessa dedução, os investidores usam o bom senso. Se a dedução do lucro adquirido tiver um impacto negativo relevante na posição patrimonial da empresa, isso deverá ser motivo de preocupação. Por exemplo: um balanço patrimonial moderadamente alavancado pode não ser atraente se seus passivos de dívida excederem seriamente sua posição patrimonial tangível.

As empresas adquirem outras empresas; portanto, o lucro adquirido é um fato da vida na contabilidade financeira. Os investidores, no entanto, precisam examinar atentamente uma quantidade relativamente grande de lucro adquirido no balanço patrimonial. O impacto dessa conta na qualidade do investimento de um balanço patrimonial precisa ser avaliado em termos de tamanho comparativo ao patrimônio líquido e da taxa de sucesso da empresa em aquisições. Este é realmente um chamado de julgamento, mas que precisa ser considerado cuidadosamente.

Ativos representam itens de valor que uma empresa possui ou é devida. Dos vários tipos de itens que uma empresa possui, contas a receber, estoque, imobilizado e intangível são normalmente as quatro maiores contas no lado do ativo de um balanço. Portanto, um forte balanço patrimonial é construído sobre o gerenciamento eficiente desses principais tipos de ativos e um forte portfólio sobre o conhecimento de como ler e analisar as demonstrações financeiras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *