ADM Fácil

As 5 (cinco) forças competitivas de Porter

Jogo de Xadrez

As Cinco forças de Porter é um modelo desenvolvido por Michael Porter e tem a finalidade de analisar a competição entre empresas. O modelo leva em consideração cinco forças competitivas que devem ser estudadas para que sejam desenvolvidas estratégias empresariais eficientes, que determinem a posição de uma empresa em seu mercado competitivo.

As Forças de Porter contribuem para a Gestão de Qualidade, principalmente se a análise for realizada com bases técnicas concretas, pois estuda as forças que influenciam a capacidade da empresa em atender as necessidades dos clientes e obter lucro.

As 5 Forças Competitivas de Porter atuam como pilares de uma empresa, portanto se caso algum dos pilares for modificado, será necessário fazer uma reavaliação do posicionamento estratégico no mercado.

Quais são as 5 Forças de Porter?

A análise criada por Porter, considera que existe uma força central e outras quatro forças que causam impacto nesta força central de formas diferentes. Para que a utilização desta ferramenta seja satisfatória é importante apontar os fatos que indicam cada força, para isso, vamos analisar cada uma dessas forças, entender como funcionam e como desenvolvê-las para aplicá-las dentro da organização.

As 5 Forças de Porter
Infográfico representando as cinco forças de Porter

1 – Rivalidade entre Concorrentes

Esta força, refere-se à rivalidade existente entre os concorrentes. Deve ser analisado o grau de competição que existe entre eles.

Há mercados pouco competitivos, mas isso pode não ser tão bom, pois se não existe competição é possível que também não haja demanda ou também que o produto ou serviço estejam ficando obsoletos.

Existem também mercados muito competitivos e por este motivo há uma quantidade limitada de clientes, o que faz com que o poder da empresa seja pequeno.

Para analisar a Rivalidade entre os Concorrentes, podem ser feitas algumas perguntas que ajudarão na avaliação:

  • Quantos são os concorrentes existentes no setor?
  • Em qual o tipo de competição eles se encontram? Por preço ou algum outro diferencial?

2 – Poder de Barganha dos Fornecedores

Tem o objetivo de avaliar o quanto a posição da empresa, no mercado, fica “nas mãos” dos fornecedores.

Caso a empresa tenha um número pequeno de fornecedores, o controle será menor, visto que, aqueles que fazer o fornecimento estarão em posição confortável para aumentar os preços e prazos de entrega.

Já quando a empresa possui grande quantidade de fornecedores, a situação se inverte e quem passa a ter controle é a empresa. Com isso, é possível comprar produtos mais baratos, aumentar os prazos para pagamento e diminuir os prazos de entrega.

Para analisar o Poder de Barganha dos Fornecedores, podem ser feitas algumas perguntas:

  • Quantos fornecedores existem no mercado?
  • Qual o custo que será gerado para mudar de fornecedor?
  • Quais as diferenças entre os fornecedores?
  • Quem possui o poder, minha empresa ou o fornecedor?

3 – Poder de Barganha dos Clientes

Quanto maior for o nível de competição, maior será o controle dos clientes sobre o processo de venda. Refere-se à capacidade dos clientes em negociar condições e pagamentos, eles buscam cada vez mais por qualidade e menor preço. Caso haja escassez de empresas oferecendo os produtos ou serviços o controle do mercado volta para as empresas.

Com a popularização da internet, o poder de barganha dos clientes aumentou consideravelmente, visto que eles têm mais opções no mercado. Com isso, para manter os clientes, as empresas acabam abaixando os preços dos produtos e serviços.

Para analisar o Poder de Barganha dos Clientes, podem ser feitas algumas perguntas que ajudarão na avaliação:

  • Qual o poder dos clientes em definir os termos de negociação?
  • Qual a proporção de clientes para fornecedores do meu produto ou serviço?
  • Qual a influência dos meus clientes nas redes sociais e como isso pode afetar na opinião de outros clientes?

4 – Ameaça de Novos Concorrentes

Esta força depende de qual segmento de mercado o negócio está inserido e do grau de dificuldade em novos concorrentes entrarem no mercado. Ao analisar esta ameaça, é preciso verificar o crescimento do segmento no mercado, o lucro que está sendo gerado no setor e a diferenciação do seu produto ou serviço mediante seus concorrentes. Se o mercado estiver em crescimento e for de fácil entrada, estes serão pontos fortes para a entrada de novos concorrentes.

Para analisar as Ameaças de Novos Concorrentes, podem ser feitas as seguintes perguntas:

  • Qual a probabilidade de novos concorrentes entrarem no mercado?
  • Qual o custo para abrir um negócio no meu segmento?
  • Quais as barreiras de entrada que tornam a posição da minha empresa fortalecida?
  • Há incentivos fiscais para quem tem interesse em entrar no mercado?

5 – Ameaça de Produtos Substitutos

Esta ameaça pode tornar seu produto ou serviço ultrapassado e tirar sua empresa do mercado. Portanto o mercado deve ser analisado de forma a manter suas ofertas atualizadas com as necessidades dos consumidores.

O Produto Substituto pode ser diferente do comercializado pela empresa, porém pode ser usado no lugar do produto existente. A existência dos substitutos faz diminuir a fatia que sua empresa representa no mercado. Um exemplo de Produtos Substitutos é referente a smartphones e notebooks, que não são iguais, mas possuem funções parecidas.

Para analisar as Ameaças de Produtos Substitutos, podem ser feitas algumas perguntas que ajudarão na avaliação:

  • Há algum projeto que pode substituir meu produto ou serviço?
  • Meus concorrentes conseguem facilmente criar alternativas para a solução que minha empresa oferece?

Há uma sexta força (chamada de “A Sexta Força de Porter”) que pode ajudar nas alianças empresariais. Esta força é menos conhecida, porém muito importante. É usada quando um produto ou serviço é comercializado juntamente a outro e se beneficia com esta comercialização. Um exemplo desta força é quando marcas de refrigerantes são vendas exclusivas de uma rede de restaurantes ou quando uma agência de turismo vende pacotes de viagens com passagens aéreas de uma determinada aviação.

Aplicação das 5 Forças de Porter: Estratégias Competitivas Genéricas

Para aplicar as 5 Forças Competitivas de Porter, há 3 estratégias genéricas que devem ser aplicadas em qualquer tipo de negócio, que são: liderança de custo, diferenciação e foco.

  • Liderança de Custo: reduzir os custos e aumentar os lucros ou reduzir os preços para aumentar a participação no mercado. Esta estratégia tem por objetivo produzir com baixo custo, o que gera uma defesa contra os concorrentes. Para uma produção de baixo custo é preciso conseguir produzir em economia de escala ou obter alguma vantagem de custo, que pode por exemplo ser a redução de impostos;
  • Diferenciação: diferenciar o produto ou serviço prestado daquilo que é oferecido pelo concorrente. Ao gerar produtos ou serviços diferenciados a empresa acaba tendo menos preocupação com os custos e busca ter visibilidade no mercado por possuir algo diferente a oferecer. Para utilizar esta estratégia, a empresa precisa investir em pesquisa e projetos;
  • Foco: focar no nicho certo e aumentar as vendas. Esta estratégia direciona para um nicho específico com produtos ou serviços destinados exclusivamente para determinados clientes. Ao utilizar esta estratégia, o gestor pode trabalhar em conjunto com as outras duas estratégias, pois consegue obter melhores preços com os fornecedores e também diferenciar os produtos de acordo com as necessidades dos clientes.

Para obter sucesso, a empresa precisa se encaixar em alguma dessas estratégias genéricas, pois através delas é que serão conduzidas as atividades da organização.

A análise estratégica da empresa, muitas vezes pode ter resultado precário, por esse motivo, utilizar o Modelo de Negócio criado por Michel Porter pode posicionar a empresa de forma positiva no mercado. Outra ferramenta importante no planejamento do negócio é a Análise SWOT, que pode ser utilizada em conjunto com as 5 Forças de Porter.

Com a facilidade de acesso à internet, as agências de Marketing Digital estão crescendo muito e gerando um novo mercado que não era explorado quando Porter criou as 5 Forças Competitivas, mas como os hábitos dos consumidores foram modificados, estas agências, precisam ficar atentas às mudanças. Mesmo tendo sido criada antes do crescimento do marketing digital, ainda hoje as 5 Forças de Porter, é uma das ferramentas mais eficientes na identificação das forças competitivas.

Atualize a Análise das 5 Forças Competitivas de Porter, periodicamente e se possível, visite com frequência seus concorrentes, assim ficará sabendo as estratégias deles e conseguirá criar meios de ser melhor que eles. Procure dificultar a chegada de novos concorrentes, mesmo que seja difícil impedir que seu negócio seja copiado, procure criar barreiras que impeçam ou que dificultem a entrada desses concorrentes no mercado.

Não esqueça de determinar o posicionamento competitivo da empresa, que precisa estar relacionado com o posicionamento que a empresa assumirá perante o mercado competitivo.

Leitura recomendada

Este artigo te ajudou? Esperamos que sim! Compartilhe isso para o mundo: Ficaremos extremamente agradecidos! 👍👍👍

Enviar comentário

Curta nossa página no Facebook